LivrosImprescindiveiseLearning

10 Livros para Você aplicar em Seu e-Learning Já!

Montar seu portfólio e-learning envolve tanto saber metodologias, ferramentas e estratégias para desenvolvimento de cursos, quanto colocar em ação, testar, construir e implementar.

Produção de Cursos é 100% prática. Se não é assim…. não funciona.

Porém para chegar a uma modelagem efetiva são necessários estudos, construção de métodos, desenvolvimento de práticas, testes de validação… Fica tudo muito simples, quando outros vieram antes e fizeram toda a parte de pesquisa e desenvolvimento.

Muitos livros trazem exatamente o que você precisa para fazer de forma diferente o que você já normalmente aplica na sua prática.

Sendo assim…

Se você está envolvido em produção de cursos, trilhas de aprendizagem, percursos formativos, seja como conteudista, ou como designer instrucional, ou como coordenador e gestor de projetos de e-learning sabe que você precisa estar continuamente em busca de estudos e pesquisas recentes. Assim como é importante ter acesso a práticas testadas e aprovadas pelo mercado.

No DICA DE CABECEIRA, trago vários destes livros que podem ser contribuição para o seu trabalho. Pois é… não consigo afastar-me da veia de pesquisadora e de desenvolvedora.

Mesmo que não tenhamos que inventar a roda, podemos inová-la. E o e-learning oferece inúmeras oportunidades, visto que, por estar de mãos dadas com as tecnologias digitais.

Disponibilizo aqui algumas das indicações das leituras que estiveram super presentes nas minhas ações em 2017. Tiveram outras, muitas outras…. As que aqui estão vão te abrir os olhos e dar-lhe um empurrãozinho especialmente se está iniciando sua produção de cursos.

Então venha comigo para conhecer 10 Livros para você aplicar em seu e-Learning Já!

  1. Arte da Criatividade – Rod Judkins

Não dá para trabalhar com desenvolvimento de conteúdos e de cursos, independente se o foco é e-learning ou presencial se você deixar de investir em CRIATIVIDADE.

Rod Judkins mostra, neste livro, que pensar criativamente, contribui na busca de soluções de problemas. O autor traz várias pessoas brilhantes e personalidades de diferentes áreas para apresentar como superaram seus obstáculos pessoais e profissionais. Para Judkins, criatividade tem a ver “criar a si próprio, um futuro melhor e aproveitar as oportunidades”.

DICA DE CABECEIRA: Não é preciso reinventar a roda, mas apresenta-la de forma criativa pode ser uma excelente solução. Os clientes de e-learning estão cada vez mais exigentes, o que coloca as metodologias ativas em alta. E se colaboração, interação e participação estão em evidência, CRIATIVIDADE torna-se imprescindível em todos os processos. Adapte e aplique o que está apresentado no livro para a sua PRODUÇÃO DE CONTEÚDOS e na PRODUÇÃO DE SEUS CURSOS.

  1. A Era da Curadoria – Mario Sergio Cortella e Gilberto Dimenstein

Excesso de informação causa CAOS… Somos diariamente bombardeados por todos os lados POR CONTEÚDOS em diferentes formatos e mídias, além de consistências e coerências diversas.  Isso tudo pode gerar desinformação. Sabe por quê?

Já parou para pensar O QUE REALMENTE IMPORTA? Qual deve ser o seu foco? O que deve ser usado na produção dos seus cursos? Como direcionar os conteudistas? O que os participantes dos cursos e os clientes institucionais querem recebem e o que eles precisam para solucionar o problema existente?

Solução para todas estas questões e muitas outras: CURADORIA de conteúdos.

Mario Sergio Cortella e Gilberto Dimenstein debatem neste livro a ideia de CURADORIA DO CONHECIMENTO.

DICA DE CABECEIRA: Se o objetivo é enxugar a informação e entregar o conhecimento na medida certa. A CURADORIA pode ser a resposta. Uma auditoria bem feita, aliada a um inventário e complementada por uma curadoria de conteúdos que venham a integrar uma formação continuada que possa proporcionar empoderamento do indivíduo.


Aprenda a virar o jogo na Arte da Produção de Conteúdos. Saiba como construir, atualizar e esquentar conteúdos que conversem com seu cliente ideal.

Estratégias de Produção de Conteúdos 2.0 tem foco na roteirização, produção de scripts e textos a partir de templates. Ideal para quem quer aprender a produzir conteúdos para diferentes Mídias Sociais, mas não tem nenhuma noção por onde começar.

Aqui, são apresentadas estratégias para escrever, roteirizar, quebrar e multiplicar conteúdos de maneira simples e direta. Tudo fica simples quando se tem um passo a passo estratégico.

Mergulhe em estratégias simples e práticas e faça uma reviravolta no seu marketing de conteúdo.


  1. Rapid Instructional Design: Learning ID Fast and Right – George M Piskurich

Aqui você encontra um guia para a produção de e-learning. Voltado para a criação de materiais de instrução efetivos, proporcionando praticidade.

Direcionando o olhar para o “design instrucional”, você é orientado a explorar técnicas de análise, design, desenvolvimento, intervenção e avaliação.

A entrega de instruções expandiu-se rapidamente e esta atualização abrange os principais avanços na oferta de e-learning. Traz, então, os principais modelos de instrução para se aplicar ao e-learning, MOOCs, aprendizagem móvel e aprendizagem baseada em rede social. A aprendizagem informal e as comunidades de prática também são exploradas.

O design instrucional é o processo pelo qual os materiais são projetados, desenvolvidos e entregues. Os designers instrucionais devem determinar o estado e as necessidades atuais do participante / aprendente / aluno, definir os objetivos finais das instruções e criar uma intervenção para ajudar na transição.

O modelo ADDIE não é único. Você precisa saber seus prós e contras e descobrir como fazer o design rápido para e-learning.

DICA DE CABECEIRA: As estratégias de design rápido para e-learning oferecem agilidade no desenvolvimento de cursos, tornando efetiva a produção de materiais. Com clientes exigentes e com continuas necessidades de adaptação e ajustes… o e-learning rápido pode constituir uma saída menos onerosa e mais efgicaz.

  1. Design Thinking – Tim Brown

Que colaboração, participação e interação são o que tornam os processos mais ágeis e criativos. Taí, o Design Thinking também chega à produção de cursos online, cursos híbridos e materiais instrucionais.

Não é para menos…. o Design Thinking converte necessidade em demanda.  E o que fazemos hoje no e-learning é exatamente isso, identificar necessidades que possam gerar demandas que sejam solucionadas por meio de cursos, treinamentos, capacitações online…

Descobrir alternativas viáveis em curto espaço de tempo. Aproveitar o potencial criativo da equipe.  Reduzir o tempo de produção e de implementação. Evidenciar os resultados dos testes. Promover validação…

Este livro é um clássico dentro do Design Thinking. A abordagem de Tim Brown é imprescindível…. bom… considero o melhor caminho para se começar.

DICA DE CABECEIRA: Hoje as metodologias são intercambiáveis. Aliás só sobrevive o que puder ser eficiente em diferentes áreas. E se queremos que um e-learning disruptivo transformar as equipes de produção e de design em times organicamente  colaborativos é um importante passo.

  1. Design Thinking e Thinking… Design – Adriana Melo e Ricardo Abelheira

Você pode até achar que é mias do mesmo. Afinal se você já leu Tim Brown, pode concluir que já viu o essencial. Pois vou te dizer que por mais didático que seja apresentado um tema e uma metodologia é importante ver pelo menos 3 autores falando sobre ela e sua aplicabilidade.

Este livro usa linguagem simples e objetiva e os autores, com maestria, clareiam o tema, as práticas e as ferramentas desta metodologia (Design Thinking) que começou a tomar conta das conversas de designers e não designers.

DICA DE CABECEIRA: A combinação de estratégias de DESIGN é um diferencial no momento da produção. E o Design Thinking apresenta uma proposta que tanto agiliza o processo de produção quanto torna-o mais flexível e criativo. Lembra de que a metodologia é utilizada pelos designers para solucionar problemas complexos, partindo da compreensão da necessidade das pessoas. Quando você tem por objetivo desenvolver quaisquer ações em e-learning, você lida fundamentalmente com pessoas.

  1. Design Thinking – na Educação Presencial, A Distância e Corporativa – Carolina Costa Cavalcanti e Andrea Filatro

O sucesso da aplicação do Design Thinking tem conquistando cada vez mais adeptos seja na educação básica e superior presencial, na educação a distância e na educação corporativa. Essa metodologia usa estratégias do design para gerar solução de problemas de forma criativa, sistêmica e colaborativa. O grande ganho é poder viabilizar e promover inovações no campo educacional.

DICA DE CABECEIRA: Se você, assim como eu, quer transformar a educação precisa acelerar os processos. Era comum ficarmos meses presos em desenvolvimento e validação de cursos. Com a metodologia do Design Thinking aplicada ao design dos cursos, mantemos foco no que importa as necessidades dos alunos e participantes dos cursos. Afinal não é sobre o que queremos e sim o que eles desejam e o que precisam.

  1. Design Instrucional. Para Cursos On-line – Vani Moreira Kenski

Quer entrar para o mercado de produção e desenvolvimento de cursos online? Pretende se diferenciar do que hoje está disponível? Para inovar, o designer instrucional tem de conhecer sobre educação, tecnologias digitais, comunicação, produção criativa e gestão de projetos e processos para potencializar as abordagens colaborativas de ensino, voltadas para a interação e a comunicação clara e objetiva, A simplificação do processo não reduz o trabalho e a preocupação com a qualidade e a efetividade dos processos de ensino e de aprendizagem. Ao contrário, com a expansão do e-learning muitos profissionais passaram a serem requeridos nas equipes de DI, editores, diagramadores, programadores, web designers, desenvolvedores, desenhistas…, além de professores, tutores e conteudistas.

DICA DE CABECEIRA: Para modelar um Curso Online, você pode usar várias estratégias. Vani Kenski é uma destas pessoas que busca solução além do óbvio. Na modelagem, aplico uma combinação eficaz do Design Instrucional, do Design Thinking, do Design de Interação, e….. É daí que surgiu o Modelo IDEIA que aplico para desenvolver os cursos do nosso portfólio.

No Design Instrucional, temos autores, pesquisadores, verdadeiros fazedores chave como: Andrea Filatro, Vani Kenski, João Mattar, Regis Tratenberg, Edmea Santos…. para citar alguns… Livros, artigos, publicações encabeçadas por estes autores estão entre as bibliografias básicas para quem está comprometido com a EaD.

  1. Design de Aprendizagem com uso de canvas – Flora Alves

Ao atuar como designer de cursos online, você trabalha dentro de um universo de possibilidades e aplicações de metodologias. Aqui, a autora redefine e desmistifica o Design de Aprendizagem. Ela faz isso de forma visual e direta usando o canvas e aplicando a Metodologia Trahentem®.

O Canvas é uma ferramenta prática, visual, colaborativa e consistente que permite a organização sistemática do que é essencial ao Design de Aprendizagem.

O objetivo é dar agilidade ao processo tratando apenas dos elementos essenciais e significativos para a aprendizagem.

DICA DE CABECEIRA: Você não pode fechar os olhos às diferentes metodologias. Hoje aplicamos estratégias que foram usadas em outras áreas e que tiveram sucesso em seus contextos originais. E por que isso é feito? Simples! Ao escolher atuar com e-learning, você, assim como eu, optou buscar e utilizar metodologias que fossem adequadas a cada tipo de curso, de processo de aprendizagem, de conteúdos e estratégias de ensino.

  1. Ensino Híbrido – Personalização e Tecnologia na Educação – Lilian Bacich, Adolfo Tanzi Neto, e Fernando De Mello Trevisani

Este livro é resultado das reflexões dos participantes do Grupo de Experimentações em Ensino Híbrido desenvolvido pelo Instituto Península e pela Fundação Lemann. Seu objetivo é apresentar aos educadores possibilidades de integração das tecnologias digitais ao currículo escolar, e com isso trazer benefícios para o dia a dia da sala de aula. Já pensou em quais benefícios são estes: engajamento, maior aproveitamento, personalização, comunicação… entre outros… Combinar estratégias presenciais com cursos online potencializa o alcance e a aprendizagem.

Hoje, buscamos no e-learning possibilidade de integração entre teoria e prática, tornar significativas as aprendizagens e poder aplicar no cotidiano e no trabalho o que está em curso. O Ensino híbrido promove esta flexibilidade nas múltiplas combinações entre atividades presenciais e online.

DICA DE CABECEIRA: O Ensino Híbrido surge como alternativa e como inspiração para outras práticas desenvolvidas no online. Tudo junto e misturado: presencial e online, aulas ao vivo e materiais instrucionais gravados. Quando estas estratégias são aplicadas de forma conectada, agregam valor e proporcionam aprendizagens complexas e cheias de significado.

  1. Blended – Usando A Inovação Disruptiva Para Aprimorar A Educação – Clayton M Christensen

Blended learning, b-learning e ensino híbrido partem do mesmo princípio: a combinação entre o presencial e o virtual.

Seja no ensino formal, na educação corporativa ou mesmo como estratégia dentro de programas de ensino livre, o blended learning vem como estratégia de inovação disruptiva.

Se  a proposta é ver além da roda, que façamos a personalização pela recombinação. Como estratégia oferece um aprendizado mais interessante, eficiente e personalizado às necessidades dos participantes.

DICA DE CABECEIRA: Se tiver oportunidade de fazer um evento presencial ou uma aula ao vivo online, FAÇA! Estar com seus alunos olho no olho ajuda a identificar os gargalos da sua estratégia de ensino. Importante para poder identificar e validar o entendimento dos participantes, o interesse pelos conteúdos, levantamento de dúvidas e principalmente realização de práticas.

 

Decidi trazer 10 Livros para você aplicar em seu e-Learning Já!  para que você possa começar agora a desenvolver seus cursos e testar com seus alunos. Organizar e estruturar seu portfólio e inovar suas práticas. Faça uma leitura exploratória, identifique os pontos essenciais e pratique junto com sua leitura.

Escolha as metodologias e estratégias de desenvolvimento e criação que melhor se adaptam ao seu processo de produção de cursos e esteja aberto a testar e ser disruptivo também com sua dinâmica de desenvolvimento e implementação.

Antes de finalizar quero resgatar um dos livros que indiquei no artigo 10 Leituras Indispensáveis ao Empreendedor de Visão. No design de e-learning, você traz o que é eficaz para você e para sua equipe. E tirar uma ideia do papel em 5 dias! Se você ainda não conhece, encontre logo uma brecha na sua agenda para colocar em prática o SPRINT.

Sprint – Jake Knapp,‎ John Zeratsky,‎ Braden Kowitz‎  

Metodologia ágil, assertiva, objetiva, clara e direto ao ponto. Testado e comprovado. Vai esperar mais o quê? São apenas 5 dias para você testar o Método Google na produção do seu curso online semente.

Exato! Faça um semente para realizar todos os testes de prototipação da estrutura do curso e dos conteúdos que serão veiculados, bem como as atividades que foram preparadas. E tem mais… se você tem dificuldade em lidar com processos longos, experimente o SPRINT, não há como se perder, procrastinar ou se autossabotar.

DICA DE CABECEIRA: Comece JÁ! Ágil, objetivo, direto ao ponto. Ganhe tempo ao colocar em prática novas ideias. Se você me conhece, sabe que como pesquisadora que sou adddddooooorrrrooooo explorar novas metodologias.

Trata-se de experimentação. Projetos inovadores dependem de testes. Fazer recombinações, adaptações, ajustes…. só depois de testar muitas vezes… Desde que passei a aplicar o SPRINT me apaixonei… Convido você a se apaixonar também por esta metodologia ágil.

 

 


Desenvolver cursos online envolve vários desafios. Sejam eles técnicos, metodológicos, ou de conteúdos, você deve preparar-se para superá-los.

O MODELAGEM DE CURSOS ONLINE é 100% prático. Você já começa com a elaboração do projeto em EaD.  O curso apresenta uma combinação de diferentes áreas de produção e desenvolvimento de cursos, com foco especial no e-learning.

Combinar conteúdos em diferentes mídias, estabelecer os organizadores de avanço, propor formatos de interação, e estruturar o feedback e a avaliação; integrando e relacionando conteúdos, atividades, propósitos e metas.